Clinica Tera LOGO

Mamoplastia de Aumento

Flor de Lotus 1Flor de Lotus 2

Mamoplastia de Aumento - (Prótese de Silicone)

Os implantes de silicone para mamas surgiram em 1962 e desde então se tornaram uma cirurgia com grande procura entre as mulheres do mundo todo.
 

Indicação:
A primeira indicação para a mamoplastia de aumento é um volume inadequado das mamas, que pode ser tanto por déficit de desenvlovimento como involucional. A cirurgia também está indicada quando houver sentimentos de inadequação, baixa auto-estima, falta de auto-confiança e inibição sexual. Além disso, o uso da prótese pode auxiliar na correção ptose mamaria leve e de assimetrias mamarias, onde utilizamos próteses de tamanhos diferentes.

Os implantes:
Os implantes mamários possuem duas formas básicas (redonda ou anatômica) e quatro perfis (baixo, moderado, alto, super alto) que determinam à relação de base e de altura/projeção da prótese, mais importante que a escolha do volume em si é a escolha da forma e do perfil para que tenhamos a prótese de mama mais adequada para a paciente; considerando a forma da mama aliada ao desejo da mesma.
Os implantes podem ser preenchidos por soro fisiológico ou por gel de silicone coesivo, além de poderem ter a superfície lisa ou texturizada.
Nossa preferência é pelos implantes de silicone gel texturizados.

 

Localização do implante:
O deslocamento para colocação do implante pode ser no plano subglandular, subfascial ou submuscular. A determinação de qual é a melhor opção depende de vários fatores como: o volume prévio da mama, a presença de flacidez mamária, prática esportiva de alto nível e o desejo da paciente.

Incisões:
O implante pode ser colocado por três vias diferentes: submamária, periareolar e via axilar. Independentemente da técnica, a paciente  merece ser bem informada sobre possíveis limitações de cada incisão.
Lembramos que a colocação do implante pela cicatriz umbilical só é possível com implante de soro fisiológico que é colocado vazio, e não é uma prática comum no Brasil.

Anestesia:
Geralmente utilizamos a anestesia local com sedação, mas a cirurgia pode ser realizada também com anestesia peridural ou anestesia geral.

Procedimento:
A cirurgia em si tem duração média de 50 minutos, a depender da técnica escolhida.

 

Riscos:
Todos os procedimentos cirúrgicos têm riscos inerentes, incluindo sangramento (0,5%) e infecções (2,2%) que no caso de prótese é bastante baixo, porém, se ocorrer infecção a prótese deve ser retirada,  a infecção tratada e a prótese pode ser recolocada após um período adequado de recuperação. Lesões nervosas podem ocorrer em (15%) dos casos.
As cicatrizes desfavoráveis podem ocorrer o que geralmente é solucionado com retoque de cicatriz.

Pós operatório:
O uso de soutien cirúrgico por dois meses é necessário para a sustentação e modelagem das mamas.
Os cotovelos devem ficar abaixo dos ombros por duas semanas o que limita a paciente de levantar os braços, dirigir, cuidar  do próprio cabelo e usar roupas sem ser de abertura frontal.

Amamentação:
A colocação dos implantes envolve pouca ou  nenhuma lesão do parênquima mamário, portanto, não interfere na amamentação.

Troca de implantes:
A indicação  de troca de implantes em geral é a mesma de quando foram colocados, ou seja, para melhora estética. Após a colocação do implante uma cápsula de tecido cicatricial é formada ao redor dos mesmos. Ao longo do tempo esta cápsula começa a contrair e  deformar o implante, a este processo damos o nome de encapsulamento, o período que isto irá acontecer depende de cada paciente e na média da população ocorre em cerca de dez anos. Com a melhora dos implantes este período vem se estendendo cada vez mais.

Câncer de mama:
Não há nenhuma comprovação científica de que haja incidência aumentada de câncer de mama nas pacientes com implantes mamários. Vale lembrar que a existência de implantes de silicone não contra indica a realização do exame de mamografia.